Você está aqui: Página Inicial > Contents > Menu > Pesquisa > Projetos de Pesquisa
conteúdo

Projetos de Pesquisa

por leonardoparisi publicado 24/03/2017 12h13, última modificação 26/03/2018 16h17

Projetos de Pesquisa

 

TELEJORNALISMO E MEMÓRIA NO NORDESTE

Zulmira Nóbrega Piva de Carvalho (Responsável Pelo Projeto) 

 
Descrição: No campo do jornalismo, na atualidade, existem muitos estudos que levam em consideração as rotinas produtivas, as mudanças no campo profissional provocadas pelo uso das novas tecnologias, entre outros aspectos. São pesquisas que têm uma grande relevância por permitir observar o contexto atual da atividade jornalística e por vislumbrar as mudanças que estão em curso. É um olhar centrado no agora e no futuro do jornalismo. Quando observamos, especificamente, os estudos de telejornalismo, isso fica ainda mais evidente. Há muitas lacunas que precisam ser preenchidas, especialmente, quando olhamos para o passado. No Nordeste, por exemplo, há poucas pesquisas que se dedicam a estudar o que havia antes mesmo da instalação das emissoras locais. Em muitos estados nordestinos, a cobertura era feita por emissoras regionais. É o caso da Rede Globo Nordeste, que pertence à Rede Globo, e que quando surgiu, há 45 anos, cobria, entre outros estados, a Paraíba. Repórteres e cinegrafistas sediados no Recife, em Pernambuco, eram enviados para cidades paraibanas para realizar reportagens. Isso costumava ocorrer no período anterior a criação da TV Cabo Branco, em João Pessoa, e da TV Paraíba, em Campina Grande, fundadas em 1987 e 1986, respectivamente. Pouco se sabe sobre essa cobertura televisiva. Este projeto foi elaborado justamente para buscar respostas para a seguinte pergunta: Como e de que forma o Estado da Paraíba era retratado antes de 1986 pela Rede Globo Nordeste? O objetivo geral é analisar e resgatar a história do telejornalismo na Paraíba antes d o surgimento de emissoras de televisão afiliadas da Rede Globo, no estado, para identificar quais eram as principais temáticas abordadas, repórteres envolvidos, cidades retratadas. Além desse objetivo geral, traçamos objetivos específicos, entre eles: compreender as rotinas produtivas envolvidas na cobertura de notícias na Paraíba antes do surgimento das primeiras emissoras afiliadas da Rede Globo no estado; conhecer qual era o aparato tecnológico envolvido na produção jornalística da Rede Globo Nordeste no período anterior a fundação da TV Cabo Branco e da TV Paraíba e entender como ocorria o envio das reportagens feitas na Paraíba para a emissora sediada no Recife; resgatar, catalogar e copiar as reportagens realizadas na Paraíba, pela Rede Globo Nordeste, antes de 1986 e que se encontram, hoje, no acervo da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, e também arquivadas na própria emissora. Trata-se de um estudo cuja finalidade principal será obter informações importantes da história da televisão na Paraíba, que ainda não foram estudados. A pesquisa a cerca do tema e o resgate do material exibido do período anterior a 1986 permitirão lançar novos olhares sobre o telejornalismo realizado aqui. Além disso, servirão para futuros trabalhos acadêmicos, uma vez que a intenção é fazer com que o acervo fique mais próximo e disponível para os pesquisadores que residem na Paraíba. Queremos disponibilizar as reportagens televisivas do período anterior a 1986 (que hoje estão na Rede Globo Nordeste e na Fundação Joaquim Nabuco, ambos no Recife) à Universidade Federal da Paraíba, por meio do Núcleo de Documentação e Info rmação Histórica Regional (NDIHR), Núcleo de Documentação Cinematográfica (Nudoc), Programa de Pós-Graduação em Jornalismo e Departamento de Jornalismo. É um projeto que poderá beneficiar diversos pesquisadores, não apenas os que estão relacionados diretamente a ele, tendo em vista que os resultados ficarão disponíveis depois para todos que desejarem fazer estudos na área de telejornalismo, no futuro. Possibilitará descobrir, por exemplo, como a temática da seca era abordada, como era a cobertura na Paraíba durante o período da ditadura, entre outras questões, que poderão surgir a partir da análise do material reunido por esse estudo.. 
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. 
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (2) / Doutorado: (0) . 

Integrantes: Zulmira Nóbrega Piva de Carvalho - Coordenador / Fabiana Cardoso Siqueira - Integrante.

NARRATIVAS COM TECNOLOGIAS MÓVEIS EM VÍDEOS DE 360 GRAUS: REALIDADE VIRTUAL IMERSIVA E INOVAÇÃO NO JORNALISMO
Fernando Firmino da Silva (Responsável Pelo Projeto) 

Descrição: A proposta investiga a construção das narrativas de vídeos em 360 graus no jornalismo a partir da perspectiva da Realidade Virtual Imersiva procurando compreender as implicações em termos de características inovadoras de linguagem e de formatos de produção. Para tal, o estudo levará em consideração o contexto de convergência jornalística e de mobilidade a partir das tecnologias móveis digitais e das multiplataformas enquanto agregadores para distribuição de conteúdo. Compreende-se que a inovação é um aspecto a considerar nas produções visando o desenvolvimento de novos modelos de negócios e formatos para o jornalismo. As estratégias metodológicas constituem-se de mapeamento exploratório para aproximação do estado do fenômeno, além de observação. Por se tratar de um fenômeno em movimento, mutável, a investigação explorará, preliminarmente, um corpus constituído por casos representativos do tema como The New York Times, ABC News, The Guardian a partir da análise de reportagens nacionais e internacionais elaboradas com base na apropriação da linguagem em formato de vídeo 360 graus e de dispositivos móveis. A abordagem teórico- metológica envolverá métodos móveis (BÜSCHER; URRY, 2009) e Teoria Ator-Rede (LATOUR, 2005) com perspectiva exploratória. Espera-se que os resultados da pesquisa contribuam, em termos de impacto científico, para a categorização das novas narrativas de natureza imersiva e com os processos de inovação tecnológica no jornalismo. O projeto faz parte da Chamada Universal MCTI/CNPq No 01/2016.

Integrantes: Fernando Firmino da Silva - Coordenador / Arão de Azevedo - Integrante / Antonio Simões - Integrante / Rostand de Albuquerque Melo - Integrante / GUIMARÃES, E.M. - Integrante / Lígia Coeli - Integrante / José Cavalcanti Neto Sobrinho - Integrante.

 

NARRATIVAS EM REALIDADE VIRTUAL EM REDAÇÕES COM EQUIPE INTEGRADA (JORNALISTAS, PROGRAMADORES, DESIGNERS) PARA JORNALISMO IMERSIVO
Fernando Firmino da Silva (Responsável Pelo Projeto)

Descrição: A pesquisa objetiva compreender o desenvolvimento de narrativas em jornalismo de Realidade Virtual. Considerando poram além do storytelling características inerentes às plataformas móveis como acelerômetro, sensores, bases de dados (Big Data) e outras particularidades da tactilidade. No contexto, observamos uma relação cada vez mais próxima na construção de narrativas para dispositivos móveis entre jornalistas, programadores e designers. Argumentamos que essas narrativas envolvem uma rede de actantes (LATOUR, 2005) com atores humanos e não-humanos complexificando o processo. A partir da noção de narrativas em Realidade Virtual, a pesquisa pretende explorar, de modo teórico-conceitual e empírico, os desdobramentos de tais narrativas dentro da noção de jornalismo imersivo. O referencial teórico abordará conceitos como Realidade Virtual, jornalismo imersivo, Teoria Ator-Rede, convergência jornalística, mobilidade aplicado à produção jornalística. Tendo como parâmetro a natureza mutável do objeto, pretende-se adotar métodos e teorias de caráter inovador e flexíveis como Teoria Ator-Rede (LATOUR, 2005) e Métodos Móveis (BÜSCHER; URRY; WITCHGER, 2011) para adentrar no contexto do fenômeno e das controvérsias de modo a rastrear as associações que compõem a produção. Espera-se contribuir para compreender as linguagens e dinâmicas das narrativas em Realidade Virtual desenvolvidas para smartphones e tablets e caracterizar inovação no jornalismo.

Integrantes: Fernando Firmino da Silva - Coordenador / Thaísa Brandão Comber - Integrante / Beatriz Augusta Costa Vieira - Integrante / Luana Gregório Pereira - Integrante / Débora Marx Batista de Melo Chaves - Integrante.

 

DESIGN AUDIOVISUAL
Valdecir Becker (Responsável Pelo Projeto)

Descrição: Ementa: A interdisciplinaridade das áreas da criação, produção, distribuição e fruição de conteúdos audiovisuais por intermédio da integração entre Interação Humano Computador (IHC) e os estudos de audiência. O design audiovisual centrado no usuário, visando analisar e compreender a criação e a fruição de narrativas audiovisuais através das diferentes interfaces comunicacionais. Objetivo Estudar o desenvolvimento e a fruição de conteúdos audiovisuais considerando a interdisciplinaridade da intersecção das áreas da Informática (especificamente a Engenharia de Software e a Interação Humano Computador) com a Comunicação (especificamente os estudos de audiência e a relação com a criação de narrativas).

Integrantes: Valdecir Becker - Coordenador / Alia Nasim Chaudhry - Integrante / Daniel Gambaro - Integrante / Rafael Toscano - Integrante / Ed Porto Bezerra - Integrante / Thais Saraiva Ramos - Integrante / Amanda Azevedo Sousa - Integrante / Marcelo Bruno Oliveira da Silva - Integrante / Pablo Anderson de Luna Lima - Integrante / Ruan Alves Pontes Palmeira - Integrante / Durval Leal de Araújo Filho - Integrante. 

 

PROJETO, DESENVOLVIMENTO E DIFUSÃO DE APLICAÇÕES INTERATIVAS VOLTADAS AOS SERVIÇOS DO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME.
Guido Lemos de Souza Filho (Responsável Pelo Projeto)

Descrição: Projeto, desenvolvimento e difusão de um portal de interatividade para TV digital, baseado no middleware Ginga, com informações pertinentes ao Programa Bolsa Família (PBF) do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O portal terá como foco as famílias beneficiárias do PBF, e será implementado de forma escalonada, com acréscimo de conteúdos e recursos à medida que as cidades forem inseridas no processo de distribuição dos receptores digitais realizado pela Entidade Administradora do processo de Digitalização da TV (EAD) com recursos oriundos do Leilão da faixa do espectro de frequência que será liberada com o desligamento dos canais de televisão analógicos.

Integrantes: Guido Lemos de Souza Filho – Coordenador / Valdecir Becker – Integrante.

 

RUTE 2.0 - REDE UNIVERSITÁRIA DE TELEMEDICINA 4K (Concluído)
Valdecir Becker (Responsável Pelo Projeto) 

Descrição: Desenvolvimento da rede universitário de hospitais, visando geração, transmissão e exibição de eventos 4K. 

Integrantes: Valdecir Becker - Coordenador / Guido Lemos de Souza Filho - Integrante.

 

SUITE VLIBRAS: TRADUTOR AUTOMÁTICO DE CONTEÚDOS DIGITAIS PARA LIBRAS EM CÓDIGO ABERTO E DISTRIBUIÇÃO LIVRE
Valdecir Becker (Responsável Pelo Projeto)

Descrição: O objetivo geral do projeto é o desenvolvimento de uma Suíte de ferramentas computacionais, denominada Suite VLibras, que permita que conteúdos em LIBRAS possam ser gerados automaticamente em Desktops, dispositivos móveis e plataformas Web, tornando-as acessíveis para pessoas surdas. 

 Integrantes: Valdecir Becker - Coordenador / Tiago Maritan Ugulino de Araújo – Integrante

 

A EMERGÊNCIA DE REDAÇÃO INTEGRADA NO CURSO DE JORNALISMO DA UFPB

Zulmira Nóbrega Piva de Carvalho (Responsável Pelo Projeto)

Descrição: Este projeto se caracteriza por pesquisar a Redação Integrada ou Multiplataforma, uma nova possibilidade do fazer jornalístico no campo digital, que exige uma guinada conceitual e operacional por parte das mídias da informação que optam por tal prática. 

Integrantes: Zulmira Nóbrega Piva de Carvalho - Coordenador.

 

MÚSICA POP EM CUBA: ENFRENTAMENTOS POLÍTICOS E MIDIÁTICOS
Thiago Soares  (Responsável Pelo Projeto)

Descrição: Através da presença de vestígios da cultura pop anglófila na ilha de Cuba, aciona-se pensar as contradições em torno dos fruidores de música pop em Havana, que, a despeito de toda tradição revolucionária do regime de governo cubano, ostentam ícones da cultura norte-americana em seu cotidiano. A hipótese que norteia este projeto é a de que há uma geração de jovens cubanos que negociam tanto com o histórico de premissas revolucionárias quanto com a cultura pop norte-americana problematizando definições estanques em torno de dinâmicas identitárias e performáticas. A maneira com que fãs cubanos de artistas como Madonna e Lady Gaga adquirem produtos de seus ídolos (não comercializados em tiendas/lojas), a lógica da pirataria como forma de contato com o exterior e a maneira com que conectam os artistas a um certo imaginário de resistência, posiciona os fãs de música pop em Cuba num singular lugar de reflexão sobre a ampliação do conceito de Nação.

Integrantes: Thiago Soares - Coordenador / Mariana Lins - Integrante.

 

AS MULHERES PARAIBANAS NO PODER MUNICIPAL E SUAS ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO
Gloria de Lourdes Freire Rabay (Responsável Pelo Projeto) 

Descrição: Objetivos Gerais a) Avaliar a participação da mulher no processo eleitoral de 2012, na Paraíba. b) Analisar as estratégias de comunicação das mulheres paraibanas na campanha eleitoral de 2012. c) Conhecer o perfil das prefeitas paraibanas nos mandatos 2008/12 e 2013/16 d) Mapear quem são os eleitos e eleitas ao poder executivo municipal e Câmaras de Vereadores, nas eleições de 2012, na Paraíba, a partir de dados dos tribunais eleitorais; e) Analisar, com base nos dados do TSE, percentuais de participação feminina na composição das candidaturas no estado. 

Integrantes: Gloria de Lourdes Freire Rabay - Coordenador / Maria Eulina Pessoa de Carvalho - Integrante / Anne Kelly Da Silva Macedo - Integrante / Jessíca Tamires Feijo Da Silva - Integrante / Luis Thales Bezerra - Integrante / Geysianne Felipe Do Nascimento - Integrante / Marco Antonio Oliveira - Integrante / Uane Junilhia Barbosa - Integrante / Carla Braga Fernandes - Integrante / Adenilda Bertoldo Alves de Morais - Integrante.

 

JORNALISMO E CIDADANIA: AS REDES SOCIAIS COMO ESPAÇO PARA O CIBERATIVISMO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Joana Belarmino de Sousa (Responsável Pelo Projeto)

Descrição: O projeto aborda as redes sociais, com pesquisa no twitter, onde se verifica o contraagendamento das lutas sociais das pessoas com deficiência e o impacto dessas ações no agendamento jornalístico. 

 Integrantes: Joana Belarmino de Sousa - Coordenador.

 

TVS PÚBLICAS NO NORDESTE: DIREITO DE INTERVENÇÃO DA SOCIEDADE E OS ESPAÇOS DE ATUAÇÃO DO JORNALISTA

Sandra Regina Moura (Responsável pelo Projeto)

Descrição: O projeto mapea as estruturas de TVs públicas na região NE, investiga os processos de intervenção da sociedade, reflete sobre os mecanismos de atuação do jornalista no cenário da televisão pública.

Integrantes: Sandra Regina Moura - Coordenador.

 

AFETAÇÕES DA MIDIATIZAÇÃO SOBRE O OFÍCIO DO JORNALISMO: AMBIÊNCIA, IDENTIDADES, DISCURSIVIDADESE PROCESSOS INTERACIONAIS (concluído)

Antônio Fausto Neto (Responsável pelo Projeto)

Descrição: Esta pesquisa se coloca como desenvolvimento do projeto de pesquisa “AFETAÇÕES DA MIDIATIZAÇÃO SOBRE O OFÍCIO JORNALÍSTICO: Ambiência, Identidades, Discursividades e Processos Interacionais”, nº 302658/2010-6. Este projeto aborda as atuais transformações da mídia em geral e do jornalismo em particular, situadas na sociedade em vias de midiatização. Em linhas gerais, o jornalismo é entendido como parte de um processo de midiatização, ou seja, a emergência de uma nova arquitetura comunicacional, em que a atuação da mídia ultrapassa um campo específico e passa a participar da edificação e organização da própria topografia da vida social, da organização e da processualidade dos campos, transcendendo a relação entre meios de comunicação e campos sociais. Para estudar tal processo, o projeto acima mencionado elege quatro de suas dimensões: a ambiência do trabalho jornalístico, a identidade profissional do jornalista, as linguagens e narrativas mobilizadas na produção jornalística e as interações entre produtores e leitores de jornais. A presente proposta, por sua vez, tem a especificidade de destacar esta última dimensão e se concentrar sobre ela. O objetivo é realizar uma intervenção de campo para investigar a construção e atuação de espaços de debate e diálogo entre leitores e profissionais de empresas jornalísticas, a saber, Zero Hora (RS), O Povo (CE), O Globo (RJ) e Folha de São Paulo (SP). Pretende-se acompanhar as rotinas e dinâmicas de relacionamento, proporcionado pela própria empresa de comunicação. Além disso, serão realizadas entrevistas com jornalistas e leitores envolvidos nestas dinâmicas. Por fim, serão reunidos documentos e sites das empresas jornalísticas pertinentes ao nosso problema.

Integrantes: Antonio Fausto Neto - Coordenador / Pedro Benevides - Integrante.

 

CIRCULAÇÃO: GÊNESE, FUNCIONAMENTO E COMPLEXIFICAÇÃO DAS ?ZONAS DE CONTATO? NA SOCIEDADE EM MIDIATIZAÇÃO

Antonio Fausto Neto (Responsável pelo Projeto)

Descrição: Uma das consequências das afetações das operações de midiatização sobre a ambiência social e suas práticas, são complexas mutações nos processos interacionais dos polos constituintes da comunicação (produção/recepção), que se manifestam por acoplamentos no âmbito de complexas zonas de contatos. Pistas sobre tais manifestações, reveladas em pesquisas em conclusão, apontam o trabalho da circulação ao engendrar entrelaçamentos de ações interpenetrantes de práticas de instituições (midiáticas ou não) e atores sociais, segundo distintas lógicas. Dentre as consequências dos complexos feedbacks produzidos pela midiatização crescente, aponta-se a transformação da estrutura física da circulação complexificando as condições de produção (e da própria circulação), dos discursos e dos sentidos. Da perspectiva desta proposta, a circulação é concebida como ?região estratégica?, não se tratando ? conforme se apregoava ? em uma ?zona de passagem? dos sentidos, e nem tão pouco, de um ?elo intermediário? dos discursos em produção e em recepção. Mais que isso, a circulação é uma instância na qual os sentidos não apenas transitam, mas também são tecidos. Por muitos anos foi considerada pela pesquisa como uma ?região naturalizada?, pois os traços do que ali se fazia não poderiam ser visíveis. No máximo, se admitia que a circulação seria a diferença resultante do contato entre discursos em produção e recepção. Contudo, a midiatização crescente, suas incidências sobre a organização sócio comunicacional e a complexificação da matéria significante, tratam de atribuir ao conceito um novo tipo de compreensão mais complexa. Desta feita, entendida como uma região que não opera segundo lógica linear e determinística, que não é passiva, mas dotada de um status engendrante, pelo menos por duas razões. A primeira, porque sentidos produzidos em produção e recepção sofrem também as injunções da circulação, na medida em que ela se constitui em zona que prepara sentidos, pois sua estrutura e operações estão contiguamente tencionadas e que também tenciona àquelas dos sistemas produtores e receptores de discursos. E, em segundo lugar, por que sentidos não podem ali trafegar sem interferências ou imunes às diferenças e lógicas dos seus nichos produtivos. Estes trazem as marcas das operações, cujas lógicas dos seus lugares de enunciação são, por origem, qualitativamente diferentes e descontínuas. A circulação não é uma zona de recepção e de trânsito dos sentidos, mas locus de engendramentos de macro e microprocessos comunicacionais, na medida em que tem, como referência, a internet como o principal marco do funcionamento transversal do atual estágio da midiatização, em processo. Ali realiza, no território da internet ? para onde se deslocaram instituições e atores sociais ? a materialização das operações de sentidos, dando corpo, pondo em mobilidade e constituindo uma imensidade de práticas interacionais diversas. Também estrutura e dinamiza as lógicas sobre as quais se darão novas formas de acesso e de vínculo; ao conhecimento e a cultura; ao outro; às instituições. Sem tal trabalho de engendramento, a rede não seria um ambiente, mas apenas uma topografia lisa. Resulta dos primeiros observáveis, como problema da pesquisa, a questão: como a circulação, no contexto da midiatização, estrutura as relações e põe em contato sistemas sociais (midiáticas ou não) e sistemas sócio-individuais, enquanto processos comunicacionais? Como se materializam operações através das quais a circulação de um ?elo intermediário? evolui para operador de novas formas de contatos e de produção de sentidos? Visa-se, assim, observar e analisar a ?gênese? do trabalho da circulação na constituição e complexificação destas novas zonas de contato envolvendo sistemas de produção e de recepção de mensagens; as operações desenvolvidas; e as configurações que resultam desta complexa atividade..

Integrantes: Antonio Fausto Neto - Coordenador.

 

O MODELO DE GESTÃO ESTRATÉGIA DAS RELAÇÕES PÚBLICAS PARA OS PROCESSOS INTERACIONAIS DE ACESSO, ACOLHIMENTO E VÍNCULO NA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE

Antonio Fausto Neto (Responsável pelo Projeto)

Descrição: Os problemas sociais relativos à saúde, já delinearam um espaço de relações e embates discursivos, envolvendo a sociedade, os usuários dos serviços de saúde, os sistemas de saúde e até mesmo a justiça. O direito à saúde impulsiona cidadãos brasileiros a rechearem os ambientes de processos judiciais, protestos e movimentos midiáticos, tornando visíveis controvérsias que se travam em setores diversos da sociedade. Pressupõe-se que as atividades dos atores marcam a difícil cena de interações que se processam nos ambientes de saúde pública em Alagoas. Com tal perspectiva, esta proposição está voltada para o desenvolvimento de um modelo de gestão estratégica, tendo por centralidade as interações que envolvem os públicos de uma unidade de saúde alagoana. Trata­se de pesquisa qualitativa que buscará, por metodologia interativa, observar e entender as complexidades dos processos comunicacionais, percebendo os atores sociais na dinâmica das tentativas processuais de comunicação. Espera­se como resultado obter um modelo de gestão estratégica com base nos estudos de Comunicação e, em especial, das Relações Públicas.

Integrantes: Antonio Fausto Neto - Integrante / Sandra Nunes Leite - Coordenador / Willian Lima melo - Integrante / Emanuelle Gonçalves Brandão Rodrigues - Integrante / Amanda Karla Bezerra da Silva - Integrante / Adriana Thiara de Oliveira Silva - Integrante / Laryssa Sarmento Bittencourt - Integrante / Aldia Luiza Gomes Sampaio - Integrante / Diana Leite Batista - Integrante.

 

CRITÉRIOS DE NOTICIABILIDADE DA PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NA REGIÃO NORDESTE

Luiz Custodio da Silva (Responsável pelo Projeto)

Descrição: Os critérios de noticiabilidade não interessam apenas aos pesquisadores de comunicação e jornalismo, mas dizem respeito a todas as áreas do conhecimento e aos mais diversos segmentos sociais. Repensar antigos e novos valores-notícia e os processos para a escolha do que deve ser noticiado é uma possibilidade de contribuir para avanços nas abordagens teóricas e metodológicas para a produção jornalística contemporânea, notadamente nos contextos regionais. Dessa forma, a pesquisa em pauta tem como objetivo analisar os fatores e variáveis que interferem no processo de construção das notícias e reportagens nos jornais impressos de João Pessoa (União e Correio da Paraíba) e do Recife (Diário de Pernambuco e Jornal do Comércio), especificamente no tocante aos valores e critérios de noticiabilidade no atual contexto da sociedade. Para uma melhor noção dessas questões temáticas, serão observadas as obras de Alsina (2009), Erbolato (1991), Fernandes (2014), Silva (2014) e Wolf (1992). O trabalho utilizará também técnicas investigativas compreendendo Análise de Conteúdo, conforme Bardin (2009), pesquisa participativa, a partir das contribuições de Peruzzo (2005) e Thiollent (1996) e dos estudos de natureza etnográfica em sintonia com as concepções de Travanca (2005). Os primeiros resultados apresentados nos artigos e relatórios produzidos, Silva (2017), mostram uma retomada de critérios clássicos e tradicionais a exemplo da proximidade adotados já nos anos 1950, Bond (1959) e o esforço de hibridização entre o contexto da globalização e da informação local/global.

Integrantes: Luiz Custódio da Silva - Coordenador / Antonio Roberto Faustino da Costa - Integrante / Arão de Azevedo Sousa - Integrante / Cidoval Morais de Sousa - Integrante / Sandra Regina Moura - Integrante.

 

MODERNIZAÇÃO TECNOLÓGICA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL. ESTUDO DAS MÍDIAS DIGITAIS

Claudio Cardoso de Paiva (Responsável pelo Projeto)

Descrição: Os 12 anos de trabalho do projeto "Modernização Tecnológica e Desenvolvimento Social" já resultaram em prêmios, livros e outras publicações sobre as mídias digitais. http://www.agencia.ufpb.br/vernoticias.php?pk_noticia=10915.

Integrantes: Cláudio Cardoso de Paiva - Coordenador

 

JORNALISMO E DISPOSITIVOS MÓVEIS: EM TEMPO DE CONVERGÊNCIA JORNALÍSTICA, A EXPERIÊNCIA DOS JORNAIS PARAIBANOS

Sandra Regina Moura (Responsável pelo Projeto)    

Integrantes: Sandra Regina Moura - Coordenador.

 

TRÂNSITOS ENTRE LINGUAGENS: ROTINAS DO JORNALISMO NO CINEMA

Pedro Nunes Filho (Responsável pelo Projeto)

Descrição: O jornalismo e o cinema possuem formas distintas de encenar os acontecimentos sejam estes não ficcionais (recortes da própria realidade) ou ficcionais (realidades imaginárias com liberdade de criação estética). Interessante destacar que estes campos de realidade e ficção também se misturam da situação de complexidade presentes nas instâncias narrativa produtoras de sentidos. Mas é importante destacar que entre estes campos de engendramentos semióticos do cinema e do jornalismo há, também, sutilezas que envolvem os diálogos entre linguagens, interconexões entre gêneros, trânsitos entre os modos de narrar e contaminações recíprocas do cinema que incorpora os temas e dinâmicas do jornalismo e do próprio jornalismo que se alimenta das estratégias de articulação narrativa, edição e dimensão analítica do cinema. Vários estudos e contribuições teóricas de Stella SENRA e Christa BERGER já destacam esse campo de aproximações e diálogos entre o jornalismo e o cinema ou mesmo a como se efetiva a construção simbólica do jornalismo no cinema. O principal objetivo deste projeto é aprofundar de forma transdisciplinar o estudo sobre o hibridismo existente entre Jornalismo e o cinema e, ainda, destacar as rotinas de dinâmicas do jornalismo no cinema. 

Integrantes: Pedro Nunes Filho - Coordenador / MASTROIANNE SÁ DE MEDEIROS - Integrante / Sandro Alves França - Integrante / Maviael Ribeiro da Costa Júnior - Integrante / Mariah Rodrigues Araújo - Integrante.

 

DINÂMICAS E DIÁLOGOS DO JORNALISMO EM AMBIENTES MULTICÓDIGOS: LINGUAGENS, TECNOLOGIA E CIDADANIA (concluído)

Pedro Nunes Filho (responsável pelo projeto)       

Descrição: O jornalismo tem vivenciado reconfigurações significativas em seu processo de produção e circulação da notícia particularmente nos ambientes fluidos, multiplataformas. Essas reconfigurações de ordem paradigmática estão assentadas nas dinâmicas dos suportes tecnológicos digitais, mudanças nas rotinas de produção jornalística, influencias dos contextos socioculturais, dinâmicas dos gêneros e linguagens do Jornalismo e a implantação de ambientes multicódigos que encampam possibilidades quanto ao manejo de narrativas, linguagens, sons e imagens. Como resultado dessa dinâmica de produção e circulação da notícia, temos os engendramentos interpretativos que se caracterizam como novas encenações de realidade. Entende-se aqui que a própria realidade não antecede o discurso. Ela mesma ... é um discurso? (BUCCI: 2003). Essas múltiplas realidades e modalidades de narratividades jornalísticas com feições híbridas denotam o reconhecimento do presente que é também dinâmico. Assim o jornalismo opera com o entrecruzamento de várias classes e subclasses de signos e mobiliza linguagens específicas. Nesse cenário de dinâmicas complexas também emanam práticas de produção jornalística que ganham vida fora das corporações empresariais e que ganham autonomia na rede. Trata-se das práticas jornalísticas que emanam no seio da rede que brotam e crescem em fluxos contracorrentes. Essas novas práticas de jornalismo fluido, autônomas, em tempo real, materializadas em diferentes suportes, redes e ambientes multicódigos demandam parâmetros de éticos tendo em conta os acontecimentos ou falsas notícias que se transformam em virais, memes... que muitas vezes são replicados em desatenção aos critérios de noticiabilidade. Assim o presente projeto de pesquisa foca no estudo das diferentes práticas do jornalismo digital destacando-se o papel das linguagens, as dinâmicas e implicações dos processos tecnológicos que envolvem o jornalismo na contemporaneidade e a perspectiva cidadã que deve nortear toda e qualquer prática de jornalismo.  

Integrantes: Pedro Nunes Filho - Coordenador / JULIANA GOUVEIA DE AMORIM NUNES - Integrante / MASTROIANNE SÁ DE MEDEIROS - Integrante / Mariah Rodrigues Araújo - Integrante / Francisco Diassis Costa Filho - Integrante / José Newton Sousa Filho - Integrante / Emmanuela Cristine Leite Nunes - Integrante.

 

JCOLLAB - JORNALISMO CIENTÍFICO COLABORATIVO PARA TV DIGITAL - (concluído)

Guido Lemos de Souza Filho (Responsável pelo Projeto) e Kellyanne Alves (Responsável pelo Projeto)

Descrição: Nos últimos anos a Internet tem permitido o aprimoramento da comunicação e os serviços de difusão de informação. A televisão, também tem evoluído no sentido de agregar novos formatos e serviços, especialmente com a chegada da TV Digital. Neste cenário de convergência digital, facilidades de colaboração e personalização se tornam realmente viáveis e acessíveis através da Internet. A abordagem da Web 2.0 expande a visão da Internet de uma mera rede de computadores e serviços, para uma visão social, formada por indivíduos que compõem comunidades que se comunicam e colaboram. Neste projeto será desenvolvida uma plataforma para suporte a um serviço de criação colaborativa de conteúdo jornalístico científico interativo, com inclusão de modelagem e descrição semântica, visando potencializar a experiência do jornalismo com suporte a interatividade compatível com o SBTVD, gerando conteúdo a ser veiculado na TV Digital. Um portal público será criado, com toda infra-estrutura necessária para abrigar comunidades, explorando conceitos de redes sociais e de comunidades de aprendizado, para a criação de um espaço virtual de interação social e geração de conhecimento em criação de conteúdos para TV digital, para a discussão de temas sociais e assuntos jornalísticos.

Integrantes: Guido Lemos de Souza Filho - Coordenador / Felipe Soares de Oliveira - Integrante / kellyanne Carvalho Alves - Integrante.

 

MÚSICA POP: VALORES, PERFORMANCES, TERRITORIALIDADES (concluído)

Thiago Soares (Responsável pelo Projeto)

Descrição: Projeto investiga um dos epicentros da problemática terminológica da Cultura Pop, a música. Grande parte do que se entende por Cultura Pop advém de relação dos sujeitos com a música pop, suas sonoridades, imagens, corpos e espaços. Por isso, delineia-se como problema de pesquisa a investigação de como se constróem valores (FRITH, 1996; POWERS, 2004; SANJEK, 2005; DOUGHER, 2005) nos sistemas da Música Pop e mais amplamente na Cultura Pop, tendo como epicentros investigativos: 1. as performances de artistas emblemáticos da música pop; de fãs destes artistas articulados em comunidades (fandoms) e destas experiências performáticas enunciadas em espaços codificados (como shows, eventos ou rituais midiáticos), seus sentidos e linguagens gerando experiências. Toma-se aqui a noção de performance na música como a corporificação de sonoridades em espaços pré-definidos, espetáculos musicais midiatizados e em canções ou álbuns fonográficos (FRITH, 1996; AUSLANDER, 2012), reconhecendo que a performance é a disposição material a ser investigadas como princípio orientador das lógicas de gêneros musicais e da indústria da música. O interesse sobre a performance encaminha os estudos deste projeto para o debate em torno da dimensão estética das experiências performáticas, suas formas de produção e reconhecimento a partir de premissas de ordens individuais ou coletivas. 2. as territorialidades sônico-expressivas; os ambientes de circulação, fruição e consumo de artistas da música pop; as cidades que emolduram cenários e cenas musicais (STRAW, 2003; JANOTTI e SÁ, 2013) e as experiências de passagens e espaços que orientam nomadismos na cultura das festas e dos eventos, desenhando-se uma geografia de desejos (PARKER, 2002; THORNTON, 1995) e devires embalados por acordes musicais. Tem-se aqui a territorialidade (DENORA, 2000) como moldura teórica capaz de pensar geopolíticas das sonoridades e das indústrias da música; culturas que se encenam em corpos musicais e ambientes banhados por músicas; sexualidades e performances de gêneros (BUTLER, 1993) em trânsito entre canções, espaços e afetos; estados emocionais que motivam deslocamentos numa cultura musical em contextos culturais. Pensa-se territorialidade numa interface com gêneros musicais (NEGUS, 1992, 1996, 1999), sobretudo reconhecendo endereçamentos genéricos como capazes de gerar estéticas que habitam lugares políticos nas metrópoles. A música pop é uma articuladora de tessituras urbanas reais e ficcionais, a partir de vozes e corpos que se materializam entre redes de sociabilidades. 

Integrantes: Thiago Soares - Coordenador / Maria Helena Guerra Monteiro - Integrante / Bárbara Thays Alves Santos - Integrante / Hedilberto Pessoa Berto Júnior - Integrante.